sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Mudar, crescer, evoluir

Normalmente é no final de um ano que temos aqueles momentos intimos de introspecção aonde observamos o que fizemos de bem e o que fizemos de mal. Olhamos de forma intensa para um ano de acções, atitudes e momentos e tomamos decisões assertivas para metas e objectivos novos para o ano seguinte.

E depois não cumprimos nenhum.
E voltamos a repetir esta rotina masoquista 365/366 dias depois.

É uma rotina.
E como todas as rotinas, acaba por se tornar confortável e sabemos inconscientemente aquilo que estamos a fazer mas continuamos. Tal e qual como um bebedo que bebe até ficar mal disposto e acordar com ressaca…  Acordamos a dizer que vamos fazer melhor e diferente e…. acabamos na mesma posição… no mesmo sitio.

Dito isto, quero mesmo aproveitar algumas opiniões e comentários que recentemente me foram oferecidos. Quem me conhece sabe que normalmente peço que me enviem essas opiniões em papel suave para lhes dar um uso mais… “ecológico”… mas desta vez, sinto que devo prestar atenção.

Devo estar a crescer, ou então quero aproveitar este momento para dar mais um empurrão evolucionário à minha personna.


O ponto fulcral do que me foi sugerido foi que controlasse mais a minha personalidade, especialmente nos momentos explosivos e impulsivos.
Nada fácil…

Era mais fácil atirar-me de um avião do que conseguir desligar o fio perdido que faz com que o meu filtro de “reagir/agir” salte perante as situações. Quem me conhece sabe que vivo com o coração e a mente no modo “speed” e sempre à porta da boca.


Penso.. sinto…reajo… e acção!!!

Tenho que aprender a mudar. Eu mesma admito que nem sempre me trás bons resultados.

Será complicado mas já fiz mais e pior e consegui…. Dito isto, repito o que disse a alguém: “não vou mudar quem sou”. Não porque não queira, mas porque sei que não sou capaz.


Ao invés disso, vou absorver o positivo do que me foi dito com carinho e boas intenções e vou tentar dar o próximo passo evolucionário da minha personalidade. Não abdico de quem sou (só eu sei o que me custou chegar a quem sou hoje…) mas aceito de bom grado adaptar-me, levando comigo tudo o que já tenho, e fazer o devido upgrade.

Assertiva e bruta sim… mas de forma inteligente. : )


PS: Quem quer apostar comigo que isto vai-me dar mais dores de cabeça do que consigo sequer prever actualmente… ?

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

I'm alive!!

Achei brutal o facto de que o post anterior a este é relativo ao inicio do ano que agora está na recta final.

éfing” cool! Consegui passar um ano inteiro sem comunicar.
Deve ser uma first para mim…. Ainda que as pessoas que me rodeiam pensam que me conhecem e que sou A B ou C… ainda consigo provar silenciosamente que na realidade sabem zero sobre mim.


: ) just the way I like it.

Então vamos lá falar…
2017…. 2017… 2017… como foi… ou é… está a ser… 2017.
Coisas boas? Hmmmm….
Coisas más? Hum Hum!

Este foi um dos anos mais sofridos da minha vida e eu já tive uns beeeeeeeeeeeeem lixados. Mesmo! Lixados com um F dos grandes.

E ainda assim… 2017 tem algo de bom! Está quase a acabar e não volta a acontecer. Sabendo na mesma que 2018 pode ser um livro em branco cheio de asneniras e porcaria pronta a acontecer…. Acredito que igual a 2017 não voltará a ocorrer!!!

Não sei bem se 2017 vale a pena ficar registado. A minha vontade é dar com o cortex frontal contra uma ombreira de porta até eliminar a memória deste mal fadado ano, mas acho que ganharei um galo e não alcançarei o meu objectivo. Dito isto, cachola parada e ombreira salva.

Foi muito complicado e ainda está a ser complicado.
Muitasssss duvidas… muitasssssssssssssss desilusõessssssss…. Muitas perdas… muitos medos… muitas situações que nunca imaginei passar e passei. Aprendi a comer as palavras “nunca” com todos os dentes que tenho. Aprendi que as verdades que consideramos absolutas valem niclkes. Aprendi que no fim apenas temos os nossos valores pessoais e mesmo esses são colocados à prova de fogo quando confrontados com situações que nem concebíamos.

  
Acho que foi devido a todas estas intempéries que prolonguei o meu silencio para alem do que muitos consideravam impossível. Honestamente mantinha-me calada por muito mais tempo… O silencio torna-se um pijama quentinho e quando damos por ela… a solidão torna-se num sofá confortável de onde nem imaginamos ter que sair.


Mas a vida existe e presiste.
Os azares, os medos, a má sorte e até as sanguessugas emocionais estão sempre presentes. Não é nem nunca será por nos enfiarmos debaixo da cama ou dento do guarda-fato da vida que eles irão desaparecer sem nos afectar. As coisas são como são e perantes esta crua e fria constatação só existe uma atitude… “to do or die”.

Vocês sabem que decidi há muitos anos atrás que morrer não era parte dos meus planos (pelo menos por agora e se me for dado opinião a ter). Como tal, I do.

E por aqui ando. Calada.             
Quieta. Silenciosa.
Presente.

Sou uma espécie de “olho de Sauron” só que mais louca.



De resto e em tudo o mais, igual.


E sem dizer mais, pergunto: e o teu 2017? 
  

domingo, 15 de janeiro de 2017

Vencedores do Mega Passatempo de Festas 2016

Primeiro que tudo, bom dia e bom ano : )



Espero que 2017 tenha tido um bom começo para todos! Cá em casa começou bem, sendo que alguns amigos nossos tiveram um começo um pouco tremido, mas nada grave e esperemos que o que não começa bem, acabe bem!

Peço desculpa pela demora nos resultados mas só hoje consegui terminar o trabalho de escolher os vencedores que comecei no passado fim-de-semana.

Quero agradecer a todos, pela participação, pelo carinho, pelas palavras, pelo apoio e palavras.
Quero ainda dizer que parte desta demora foi um desejo gigantesco de ser justa e um entrave enorme que foi o de o rafflecopter me seleccionar vencedores que simplesmente nem cumpriam parte das regras. Finda a procura pelos vencedores aleatórios, tive que analisar todas as restantes participações para encontrar a pessoa que mais partilhas e participação válida fez para encontrar o vencedor do Cabaz.

Com grande alegria coloco-vos aqui os nomes e respectivos vencedores e depois da colocação deste post, cada um terá uma mensagem minha no respectivo facebook.



Para distinguir os prémios dos vencedores dos livros da Chiado Editora e Saída de Emergência:

Clara Torres - Reencontro com o Amor
Sílvia Ávila - Dama da Noite
Helena Isabel Bracieira - Por um Fio
Edina Puskas - Gerir 1 Ano de Stress


Ficarei a aguardar os dados pessoais de todos os 14 vencedores: nome e morada completa, para os encaminhar para cada parceiro e os respectivos prémios vos serem enviados.

* * * * * * * * 

Também podem consultar os nomes dos vencedores na aplicação do rafflecopter que está no link do Mega Passatempo de Festas 2016.

* * * * * * * * * * * * * 

Nota: Se os contactos não me forem enviados até quarta-feira ao final do dia, irei re-sortear os respectivos prémios “não reclamados” por novos vencedores. POR FAVOR, respondam às mensagens! E se virem os seus nomes nesta lista e não tiverem mensagem no facebook, vejam na pasta que diz “ Outras” pois, como não somos amigos, poderá lá ter ficado.

* * * * * * * * 

Muito obrigada a todos, e por favor, quem ainda não foi contemplado, não desanime : ) planeio, dentro das possibilidades de tempo, fazer 2017 um ano diferente e divertido para todos : ) prometo!
   

domingo, 25 de dezembro de 2016

Cabaz Mistério do Mega Passatempo de Festas 2016

Feliz Natal a todos e espero que os últimos tirinhos de 2016 estejam a ser bons : )

Como prometido, aqui fica uma imagem do Cabaz Mistério para o seguidor mais participativo neste


  
Continuem a participar : ) ainda há bastante tempo!
   

domingo, 4 de dezembro de 2016

Mega Passatempo de Festas 2016

Como já era de esperar, o mês que tanto arrepia a espinha a uns com boas memórias e emoções, como faz o oposto a outros, chegou.

É Dezembro. Sim. “és berdade”. Se a chuva, o frio e o consumismo acerbado nas lojas não vos deu a dica, pensem no extremo gasto com as já velhas decorações de rua com luzinhas e símbolos natalícios a gritarem “É Natal!!”.
Vá, nem tudo pode ser mau: a malta come mais doces do que desejaria ser possível de o fazer e há sempre aquelas almas mais ingratas que se tornam nobres apenas pela sombra da época.

E assim sendo, com Dezembro chega sempre o nosso Mega Passatempo de Festas 2016!


Já sabem que enquadro este passatempo deste Dezembro e até depois do dia de Reis. Junta-se tudo num mesmo envelope e poupa-se uma fortuna em selos. Depois rezamos (todos os anos) para que seja sempre melhor, mais simples e mais reconfortante.


Este ano pode não ser tão recheado a nível de números, mas é sempre recheado a nível de sentimento genuíno, como tal e porque estão fartos de me ouvir falar, seguem as regras para quem quiser participar! (ora porra que agora até já rimo 😉)

Primeiro, o mais importante,,,, OS PRÉMIOS!













E desta vez vamos ter um prémio surpresa, que serei eu e apenas eu a dar e que não será aleatório!
Irei oferecer um cabaz, o qual apenas colocarei a foto no dia 25 de Dezembro, de forma a distinguir já quem é honesto e quem é ganancioso. 

Para ganhar este cabaz só precisas de ser activo. 
De participar e participar e partilhar e partilhar!

Para além de deixarem os links das partilhas no rafflecopter, se partilharem em mais redes sociais ou colocarem posts ou partilhas adicionas diárias, deixem em forma de comentário neste post e eu contabilizarei! O vencedor deste prémio poderá ainda ser depois escolhido aleatoriamente pelo rafflecopter para um dos outros prémios!

Gostava muito de fazer muita gente feliz e ao mesmo tempo ficar igualmente feliz vendo ali aquele numero de seguidores chegar aos 1000 e no facebook chegarmos mais perto dos 3000. 
Ajudam-me?


  
E pronto. Agora basta participarem e virem a ser um dos vencedores sortudos.
Seguem as regras abaixo.. 
(fazem directamente no aplicativo rafflecopter que está no fim deste texto) :


REGRAS:
Obrigatórias:





Pontos opcionais (aonde conseguem acumular pontos):


E agora toca a preencher todos os dados no formulário abaixo e lembrem-se, quantas mais partilhas fizerem, mais pontos acumulam e mais oportunidades tem de ser um dos vencedores : )




  • Começa dia 4 de Dezembro
  • Termina dia 7 de Janeiro
  • Os vencedores serão sorteados nas 48h seguintes e contactados através do email/facebook que deixarem e terão 48h para fornecer os dados para o envio (que será providenciado directamente pelos parceiros), caso contrário novo sorteio será feito pelos prémios não reclamados pelos respectivos vencedores.
  • Envios Nacionais apenas.
  • Todos os prémios serão distribuídos pela ordem em que coloquei os parceiros que é alfabética, e os vencedores serão retirados pela ordem que o rafflecopter os for seleccionando. Tudo aleatório!
  • O vencedor do Cabaz Surpresa será apurado com maior detalhe e como tal poderá demorar mais do que as 48h iniciais. Depende de quantas entradas inválidas e batotas ocorrerem...
  • Cada parceiro fará o envio por CTT para a morada indicada, não se responsabilizando por extravios causados por moradas incorrectas ou ausência de levantamento/recepção da encomenda.
  • Apenas 1 prémio por vencedor e apenas 1 vencedor por morada, por isso esqueçam as multicontas.


Boa sorte a todos! :)


   

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Consciencialização de final de ano: reconhecer e agir!

Acho que devia deixar isto registado. Seja porque não sou de deixar coisas entaladas, mal entendidas ou pelo simples motivo de auto responsabilização, para garantir (como sempre foi o motivo de ter um blogue) e impedir me de negar, fugir ou esquecer o meu eu passado e as suas acções e emoções perante o meu eu futuro.

Estive ausente e descobri que a vida não espera por ninguém e que muitas as vezes a soberba sobrepõem-se à generosidade. Trocando por miúdos, eu não mudei e se me ausentei foi por motivos pessoais e que se já me conhecem minimamente saberão que necessitariam de ser valentes motivos para o ter feito feito. Estamos a falar da teimosa que carregou um portátil para todas as diálises mesmo sabendo que passava mal e pouco uso lhe dava.

Repito, não sou de falhar. Se há pessoa que me raxa ao meio quando falho, sou eu!! Por isso para eu desaparecer, é porque foi necessário e honestamente, não sei até que ponto é que não será ainda necessário.. Mas siga.

Dito isto, descobri que tenho onde confiar e descobri onde destralhar. Sabem que faço destralhes físicos e virtuais de pessoas e artigos. Pois aprendi a fazê-los de igual forma a nível profissional - semi profissional porque este blogue não me paga nada, e isto fica como directa a quem acha que ser bloger dá dinheiro (se calhar dá ás chiques que nem são elas mesmas a gerir os conteúdos que surgem, mas eu sou eu e eu apenas, lamento).

Concluo: obrigada a quem está desse lado sem nenhum lucro a permitir-me ser eu mesma e ajudando com a simples névoa da sua presença, vale mais do que imaginam e é por vocês, e apenas vocês que faço passatempos com a ajuda da generosidade dos parceiros que mo permitem e gentilmente confiam em mim e no meu trabalho. De outra forma, não os faria. 

Por isso e, como tem sido todos os anos, vamos ter Mega Passatempo de Festas de fim de ano com a generosidade de quem existe e fica!

Fecharemos 2016 com um pequeno destralhe :)
Começasse o ano com casa limpa!

   

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Pensamentos fragmentados - sent'i'mentos

Recantos há que uma mente fragmentada apenas visita quando em muito sofrimento. 
Seja desistir, seja lutar, seja odiar.  

Só chegamos a algo após muito sofrimento muita mágoa e muita desilusão.


Há sonos que não chegam e quando tardam, mas não falham, chegam em formato de pesadelos. 
A forma registada de uma mente, um coração, já desfeito e pisado.

Culpados somos só nós que permitimos entrar quem não tem qualquer interesse ou vontade em cuidar, apenas desprezar e ver morrer.

Nada resiste e sobrevive se não for protegido e acarinhado. 
      

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Pensamentos fragmentados

A minha mente é uma caixa compartimentada.  

Tem uma área para os sentimentos e emoções, outra para a lógica e razão e outra ainda para a imaginação, desejos, vontades e sonhos. Esta é a área da liberdade. Tudo o resto prende-nos a algo,  seja ele lógica ou emoção. Somos animais presos por grilhões criados por nós mesmos numa busca incessante de nos distanciarmos da nossa natureza selvagem e do estatuto preconceituoso de animais.

Queremos tanto ser civilizados e categorizados prepotentemente como humanos que abdicamos de ser livres. Somos escravos de nós mesmos e das convenções sociais e espaciais por nós inventadas, resumindo, estúpidos num todo. Sim. Acima de tudo, estúpidos e devoluídos. Parabéns Homem, é por isso que vivemos com palavras e definições tão valorizadas como feliz e infeliz, ao invés de uma unidade normal natural e livre.
 
 

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Um Anjo da Guarda de James Patterson - Topseller

Editora: Topseller
ISBN: 9789898626905
1ª EDIÇÃO: Novembro de 2014
EDIÇÃO ATUAL: 1ª
PÁGINAS: 304
APRESENTAÇÃO: Capa mole

Sinopse
Será o nosso coração capaz de amar para além do mundo real?

Michael era o amigo imaginário de Jane, que a acompanhava, guiava e protegia quando ela, ainda criança, se sentia sozinha. Apesar de a mãe ser uma bem-sucedida produtora da Broadway e do ambiente glamoroso que a rodeava, Jane não era uma menina feliz. Michael e Jane eram os melhores amigos mas, quando ela fez 9 anos, o seu amigo imaginário teve de partir.

Vinte e três anos mais tarde, Jane é uma dramaturga de sucesso, trabalha na produtora da mãe e tem um namorado atraente e encantador. No entanto, ela continua infeliz e sem conseguir esquecer Michael. Até que, inesperadamente, volta a vê-lo. Teria Michael afinal sido sempre real?

Uma história de amor mágica e comovente, com uma reviravolta emocionante, que nos faz acreditar no poder do amor verdadeiro.

A minha leitura

Sei que vai parecer sacrilégio para os fãs de Patterson mas este foi o primeiro livro que leio deste autor imensamente creditado e com um longo currículo de bons livros.

Não sei bem o porquê de ser o primeiro, mas fico feliz por ter sido Um Anjo da Guarda a apresentar-me ao estilo de escrita e voz literária de James Patterson. Gostei muito da forma simples e fluída com que nos demonstra as suas personagens, sem encher espaços com conteúdo vazio que, na realidade, nem recordamos quando revivemos o livro.


Em Um Anjo da Guarda, temos a historia de uma filha de Hollywood. Mais uma criança que cresce por si só, sendo incapaz de ser tão valorizada como a fama e carreira da sua mãe distante e altiva (antiga actriz e actual produtora de filmes e peças de teatro famosa). Jane poderia ter-se tornado numa criança apagada e infeliz, mas teve a companhia permanente de Michael, o seu melhor amigo… imaginário. E foi essa relação, esse amor puro entre dois amigos, que a ajudou a crescer e desenvolver como uma criança feliz e emocionalmente bem formada… até que no seu aniversário de 9 anos, o seu mundo desmorona. Os amigos imaginários deixam as suas crianças quando as mesmas fazem 9 anos. Pessoalmente nem percebi muito bem o porquê de ser aos 9 anos, mas vamos aceitar obviamente.

Jane sobrevive, mas cresce sem esquecer Michael, ao contrário do que seria o normal. Transforma-se numa jovem empreendedora, profissional e inclusivamente com um namorado. Nunca esqueceu Michael, mas aprendeu a viver apenas com a sua memória. E Michael? Seguiu a sua existência de amigo imaginário de mais crianças, mas também sem nunca se esquecer da sua Jane e dos seus sundaes nas tardes de Domingo.

A historia podia terminar por aqui. Ela famosa, dramaturga de sucesso a trabalhar na empresa da sua mãe, com um namorado e um futuro em desenvolvimento… mas, cruzam-se. Jane e Michael. E agora? Terá sido tudo imaginação ou é o amor capaz de desejos irreais tornarem-se reais?

É uma história de amor. Nada de cansativa, pelo contrário, achei a escrita de Patterson bastante leve e contagiante. Parafraseando o que li de um grande fã deste escritor - “Já sei de antemão que quando pegar num livro dele para ler, será de leitura compulsiva, isto porque a maneira como ele escreve assim o permite.” - concordo e espero voltar a experienciá-lo a noutro livro dele.

Muitíssimo recomendado. Inclusivamente acho que é um livro delicioso para se ler nesta altura de frio. Recomendo juntamente com uma caneca de leite com chocolate e umas fatias douradas com canela, claro está!


Nota: Existe um filme que sinceramente, depois de ter visto o trailler, acho que é mais um daqueles filmes que considerou o livro na criação do filme, mas que não é um filme sobre o livro! Muitas coisas são diferentes. A que mais me irritou honestamente foi que o Michael que era amigo de infância da Jane surge como uma criança no filme, e no livro, é um homem adulto. A sua idade não muda durante o livro. Isto para mim faz muita diferença. Fica apenas o alerta.

Parabéns Topseller, excelente escolha e trabalho feito na edição! 
    

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Tudo, Tudo... e Nós de Nicola Yoon - Editorial Presença


Colecção: Ficção Juvenil
Data 1ª Edição: 08/09/2016
Nº de Edição: 1ª
ISBN: 978-972-23-5858-3
Nº de Páginas: 320

Sinopse
Madeline Whittier observa o mundo pela janela. Tem uma doença rara que a impede de sair de casa. Apesar disso, Maddy leva uma vida tranquila na companhia da mãe e da sua enfermeira - até ao dia em que Olly, um rapaz vestido de preto, se muda para a casa ao lado e os seus olhares se cruzam pela primeira vez.

De repente, torna-se impossível para Maddy voltar à velha rotina e ignorar o fascínio do exterior - mesmo que isso ponha a sua vida em risco.

Nicola Yoon escreveu um livro comovente com uma mensagem para leitores de todas as idades. Tudo, Tudo… e Nós foi considerado um dos melhores livros do ano pela Amazon, B%N Teen BLog, Hudson Booksellers, The Miami Herald e School Library Journal.

«A minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa, nunca saí em toda minha vida. As únicas pessoas com quem convivo são minha mãe e minha enfermeira.

Eu estava acostumada com a minha vida até ao dia em que ele chegou. Pela janela vejo o camião de mudanças, e ali está ele. É alto, magro e está vestido de preto da cabeça aos pés. Os seus olhos são de um azul como o oceano. Ele vê que o estou a observar. Descubro depois que seu nome é Olly.

Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre.»

A minha leitura

Admito que quando peguei no Tudo, Tudo… e Nós, o meu pensamento foi “é um bom livro para limpar o palato literário entre livros masi emocionais, e é lindíssimo!”

A Editorial Presença nunca desilude com as suas apostas em bons autores, sejam eles já consagrados e conhecidos ou mais ocultos e recentes. Nicola Yoon é, pelo menos para mim, prova certa disso!
Parece fútil e “coisa de gaija” começar por elogiar o seu aspecto, mas adorei a escolha de capa e contra capa. Este livro podia ser um caderno em branco que seria na mesma o caderno em branco mais bonito que vi este ano! Repito: lindíssimo!


E agora que falei do exterior, vamos passar ao interior…

Pois… eu achava que seria um bom livro para limpar a mente entre livros mais intensos. Uma espécie de amuse bouche literária. Mais uma vez cai redonda na minha assunção. Nota mental: não julgar um livro pela capa (por melhor ou pior que seja) e muito menos pela sinopse. Admito que quando soube que pertencia à colecção de ficção juvenil, imaginei que seria algo ligeiro, orientado para o romance adolescente e um pote de “não me compreendo, ninguém me compreende e bla bla”… mas Madeline Whittier, ou a Maddy do Olly, é muito mais e além disto.

Este livro mostra-nos a mente de uma pessoa que não teve a oportunidade de viver a sua vida. Ela existe viva, mas não vive a vida na realidade. E aceita-lo. E este facto é o que mais me influenciou e mudou o pensamento ao ler Tudo, Tudo… e Nós. Madeline vê o mundo que lhe é permitido e aceita-lo, tentando inclusivamente não ver além dos limites que lhe são impostos, assumindo uma decisão sábia além dos seus poucos anos: a de não desejar o que não se pode ter.

E ainda que a sua existência seja uma eterna rotina de cuidados e vivências repetitivas e neutras… tudo corria bem. Até que Olly e a sua família mudam-se para a casa do lado. E tudo muda.
Muda a sua mente. Muda a sua capacidade de controlar o que é e o que poderia ser. Abre-se o seu coração e o seu espírito, que pela primeira vez, quer ser livre e ter mais do que a sua redoma de segurança lhe permite.

Passo a passo descobrimos junto com a Maddy que o nada é imensamente mais fácil de existir do que o tudo.

E este livro é tanto uma viagem de conhecimento como de descoberta. Tanto de carinho, como de revolta. E até, literalmente, chegarmos à última folha: uma total surpresa e descoberta.

É uma aventura que convido a embarcarem. Li em 2 dias, mas feitas as contas, foi em 1h30 na realidade.

No fim fiquei com aquela vontade de querer mais, mas ao mesmo tempo, senti que a continuação, o futuro, será positivo e que venha o que vier, ser-lhe-á feliz.

Nicola Yoon escreve de forma tão fluida e simples que permite criar uma ideia bem construída das suas personagens e sinceramente, adoraria ver este livro em filme, pois a historia e a sua construção bem o merecem!

Nota: a forma como as mentes de Maddy e Olly são apresentadas: fantástico! Adorei conhecer a Nicola e o seu esposo David Yoon - é o autor das ilustrações de Tudo, Tudo… e Nós. Deixo-vos alguns exemplares abaixo.


Deixo-vos algumas imagens da família Yoon.


Nicola e o seu marido David Yoon


A lindíssima família: David, Nicola e Penny Yoon

Obrigada Carla! Tens um dedo mágico em tudo o que me recomendas!

Obrigada Editorial Presença
  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...